Há prefeituras de pequenas cidades que não suportam o custo, mesmo que alguns são pagos com verbas de emendas

junho 17, 2022 0 Por Admin

Há shows que os municípios pagam o que não arrecadam

O deputado Eduardo Botelho (União Brasil), presidente da Assembleia Legislativa,  deve apresentar proposição uma proposta para por fim aos gastos com verbas públicas para contratação de shows nacionais – especificamente de medalhões da música, em municípios pequenos, que, ao bancar os shows pirotécnicos comprometem serviços básicos à população.

Leia: 

Segundo se apurou, muitos desses shows são custeados com emendas parlamentares.   Como se sabe, tudo começou a ser cortado, a torno de contratações de cantores depois de uma declaração do músico Zé Neto, da dupla com Cristiano, durante show em Sorriso, no meio do mês de maio. Na ocasião, o sertanejo alfinetou Anitta e a Lei Rouanet, de incentivo à cultura, mas o show dele no local era bancado por verba pública. Depois veio o show de Gustavo Lima, em nível nacional, em Minas Gerais em que a prefeitura iria pagar mais de R$ 1,3 milhões.     Para Botelho, não há ilegalidade nas contratações. O que ocorre, na visão dele, é uma “injusta” diferença de valores que são pagos para artistas nacionais em comparação com os artistas de Mato Grosso.